próximos EVENToS: 

 

04/03/17:  Palestra "Outros olhares sobre a Pixação"

 

 Siga o ARdepixo: 
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W
quem somos: 

 

O ArdePixo é um coletivo formado por pessoas interessadas na produção de conteúdo, promoção de ações educacionais e de conscientização, produção artística e ativismo sobre a pixação de São Paulo e sobre como a cidade é vivenciada pelo esse grupo de pessoas, que escolheu esse modo de expressão para se manifestar no espaço público.

 

Além de um canal de visibilidade da estética e contextos da expressão na cidade, o ArdePixo é também um canal de debate, que traz à tona diversos olhares como de pixadores, acadêmicos, jornalistas, críticos ou qualquer cidadão que tenha interesse em discutir a questão de forma tolerante e democrática, pessoas que atuam na rua ou não, e que nem sempre contam com espaços de voz (não editada) nas grades mídias.

 

O ArdePixo é também um canal de produção de conteúdo de arte, política e ativismo – pois tudo isso é o universo do pixo. Não acreditamos em visões neutras sobre os fatos e não temos a pretensão de ser neutros em nosso conteúdo, mas de produzir, coletar e reunir materiais que possam fazer emergir perspectivas que até então não foram exploradas ou não foram mostradas.

 

Aqui você verá outros olhares e outras vozes sobre a pixação de São Paulo. 

 POSTS recentes: 

31.08.2017

Please reload

"Isso é sangue, não é tinta não..."

 

Marielle – mulher, negra, favelada e homossexual. Defensora dos direitos de quem é condenado a viver invisível na cidade. Marielle representa as ditas “minorias”. Que ainda são minorias no poder, mas definitivamente não são minorias nas ruas. Seu assassinato nos faz reviver a morte dos pixadores Ald e Nani e outros do movimento, também mortos pela vontade arbitrária de quem quis fazer “justiça” com as próprias mãos e brincar com a vida de quem luta diariamente pra existir na cidade. Seu assassinato escancara a morte de toda mulher, de toda negra e negro, de toda periférica e periférico, de todxs homossexuais que são agredidxs, violentadxs e mortxs todos os dias em nosso país, pelas mãos de quem acha que tem o poder de decidir que uma vida vale mais do que outra. 
A rua não pode se calar! Temos que gritar pela memória de Marielle e pela vida de todxs que ela representa. 

 

O muro não pode se calar!

 

O coletivo ArdePixo esteve presente na manifestação do dia 15 de março de 2018, fortalecendo a causa, a voz das “minorias” e pela memória de Marielle e sua atuação política. E deixa aqui o pedido para as ruas: não deixem de se manifestar! A luta segue todos os dias.

 

 


 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload