próximos EVENToS: 

 

04/03/17:  Palestra "Outros olhares sobre a Pixação"

 

 Siga o ARdepixo: 
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W
quem somos: 

 

O ArdePixo é um coletivo formado por pessoas interessadas na produção de conteúdo, promoção de ações educacionais e de conscientização, produção artística e ativismo sobre a pixação de São Paulo e sobre como a cidade é vivenciada pelo esse grupo de pessoas, que escolheu esse modo de expressão para se manifestar no espaço público.

 

Além de um canal de visibilidade da estética e contextos da expressão na cidade, o ArdePixo é também um canal de debate, que traz à tona diversos olhares como de pixadores, acadêmicos, jornalistas, críticos ou qualquer cidadão que tenha interesse em discutir a questão de forma tolerante e democrática, pessoas que atuam na rua ou não, e que nem sempre contam com espaços de voz (não editada) nas grades mídias.

 

O ArdePixo é também um canal de produção de conteúdo de arte, política e ativismo – pois tudo isso é o universo do pixo. Não acreditamos em visões neutras sobre os fatos e não temos a pretensão de ser neutros em nosso conteúdo, mas de produzir, coletar e reunir materiais que possam fazer emergir perspectivas que até então não foram exploradas ou não foram mostradas.

 

Aqui você verá outros olhares e outras vozes sobre a pixação de São Paulo. 

 POSTS recentes: 

31.08.2017

Please reload

Reflexão sobre a caminhada no pixo

"De um tempo pra cá venho observando que não estou mais no tempo e no ânimo de pixar qualquer local. Não sinto aquela tal vontade de antigamente. 

Hoje curto fazer aquele pixo estratégico, estudado, cobiçado, sonhado, talvez alcançado por poucos. Aquele lugar diferente, mofado, velho, podre (tipo a missão da noite), se possível no alto. Não é ego, mas o dia a dia no movimento me fez assim, me proporcionou essa tal vontade. Gosto de me arriscar, de me ver ir ao extremo, gosto de olhar pro barato e sentir aquela satisfação, de falar a mim mesmo 'valeu o esforço e a loucura!'.

 

Curto deixar aquele olhar instigado de 'como?! quem fez isso? será possível?? arriscou a vida dele por isso?? o que ele ganha com isso? quem será essa pessoa??', e vejo que minha cidade - que não troco por nada - me limita de fazer tudo o que sinto vontade. Hoje pego umas latas, ando pra carai pra achar o lugar ideal pra jogar a minha marca. Não que não tenha lugar, mas não é o canal que curto fazer... 

 

Sei que pixação é tinta na parede, uma forma de protesto e insatisfação, esporte dos periféricos, mas particularmente estou falando da minha caminhada, da minha sede pelo barato. Não sou de postar essas fitas, sou de observar, absorver e guardar pra mim, mas vejo que minha cidade hoje me limita. Não to no barato por ibope, o reconhecimento é consequência da sua caminhada, do seu esforço.

 

Hoje pra mim minha marca é uma responsa grande que mudou a minha vida." 

 

Autor: 7ARTS

 

 

Imagem: Monumento a Carlos Gomes - homenagem ao considerado mais importante compositor de ópera brasileiro, que obteve uma carreira de destaque NA EUROPA. Em 1909 formou-se uma comissão executiva destinada a arrecadar fundos para a construção do monumento,  da qual faziam parte figuras de destaque da colônia italiana radicada em São Paulo. A escolha de Carlos Gomes se deveu ao amor do compositor pela ITÁLIA, onde residiu e compôs grande parte de suas obras. A colônia italiana teria contribuído com metade dos custos, o Governo do Estado e a Prefeitura com outra parte. É autor da ópera Il Guarany (O Guarani), muito conhecida por ser tema do programa de rádio "A Voz do Brasil". 

 

O monumento foi inaugurado em 1922 e é composto por alegorias e estátuas de personagens das óperas mais importantes de Carlos Gomes. No alto, em destaque, está a estátua em bronze do compositor, ao lados das alegorias à música e à poesia, esculpidas em mármore Carrara. Abaixo, no centro da fonte, um grupo escultórico denominado Glória, é formado por uma figura feminina – a República – sobre a esfera celeste com a inscrição “Ordem e Progresso”, conduzida por um grupo de três cavalos alados e com nadadeiras, que jorravam água pelas narinas. (Fonte: site do Departamento do Patrimônio Histórico | Prefeitura de São Paulo)

 

O monumento recebeu diversas inscrições de pixadores e pichadores e ontem (28/3/17) foi lavado pelos funcionários da prefeitura.

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload